111.jpg
2122.jpg
1205905_47454040.jpg
5.jpg
4.jpg
120.jpg
3.jpg
gestao-no-meio-da-lavoura.jpg
2.jpg

Treinamento da Equipe Técnica

 

 A Equipe Técnica da Empresa Visão Rural Rondônia receberam treinamento de um novo equipamento que vai ajudar nos trabalhos da Empresa, na realização de ortofoto de alta resolução georreferenciada.

Utlização de drones já é uma realidade na agricultura. Desde os pequenos até os grandes produtores encontram aplicações para as informações fornecidas por essas aeronaves e aumentam sua produção por safra em até 20%.

- Controle de plantio: a área de plantação pode ser medida, assim como seu perímetro e volume de vegetação.

- Análise de plantação: podem ser realizadas inspeções visuais para o controle de falhas no plantio e etc.


- Acompanhar desenvolvimento de safra: mapas podem ser gerados semanalmente e comparados para determinar se todo o plantio está se desenvolvendo como o esperado. É possível acompanhar o nível de clorofila, propagação de pestes e altura de cada planta.


- Acompanhamento da plantação: através da analise em um computador é possível prever pontos de alagamento, drenagem, entre outros. Também é possível acompanhar a saúde da vegetação.

    
- Contagem de cabeças de gado: após o mapa ser gerado, é possível contar manualmente ou por meio de software o número de cabeças de gado.

- Monitoramento de desmatamento: com voos frequentes pode ser feito o controle da área desejada. Medindo o perímetro inicial através do software, pode-se identificar o avanço do desmatamento e a área desmatada.

    

- Cadastro rural: o cadastro rural pode ser realizado de maneira muito mais rápida e com menos custos através de drones. O cadastro rural é indispensável para desmembrar, arrendar, hipotecar, vender ou prometer em venda o imóvel rural e para homologação de partilha amigável ou judicial.


- Mapeamento do relevo: através da triangulação das fotos obtidas pelo drone o software gera uma nuvem de pontos georeferenciados. Com essa informação é possível identificar a inclinação do relevo e outras informações relevantes. Também é possível exportar essas informações para um software CAD e fazer, por exemplo, o traçado das curvas da talhão.
- Altura da planta: essa informação é indispensável para acompanhar o desenvolvimento da plantação real e compará-lo com o planejado.
    
- Verificação da saúde da planta: com o mapa NDVI é possível identificar a saúde de cada planta. Comparando as imagens NIR com RGB é possível identificar pontos críticos da plantação e inspecioná-los.
    
- Identificação de doenças: depois da identificação da “saúde” da planta encontram-se plantas danificadas muito rapidamente. Assim prevenindo a propagação de pestes que são facilmente identificadas após inspeção em áreas críticas no mapa NDVI.
   

- Mapa georrefernciado: o mapa criado pelo VANT é totalmente georeferenciado. Identificando-se um ponto de interesse no meio da plantação obtém-se suas coordenadas e com um GPS é possivel localizar o ponto especifico em campo.
 
- Utilização do modelo digital de terreno para projeto de drenagem: esse dado é facilmente retirado ao analisar a núvem de pontos e as alturas dos pontos críticos no mapa. Também é possível realizar o processo de análise automaticamente através de software especializado e simular computacionalmente a drenagem da área desejada.
    
- Análise e planejamento da colheita: através do mapa atualizado e georeferenciado é possível desenhar as rotas para todos os processos da lavoura.
 
2.    Cadastro Urbano e Topografia

Os VANTs têm muito a oferecer em várias áreas, porém é no cadastro urbano que este equipamento traz uma quantidade substancial de vantagens.
Trabalhos de topografia com pessoas em solo que demoram mais de uma semana para serem realizados podem ser feitos em apenas 15 minutos com um simples voo do VANT Isis. A segurança e facilidade de utilização são características que se sobressaem se comparados com outras técnicas de operação.
A qualidade da aeronave e a precisão dos dados obtidos permitem a otimização nas tomadas de decisões que aliada a alta durabilidade do VANT proporcionam uma redução significativa de custos.
No cadastro urbano dois dos principais fatores são a área do terreno e a área construída. Esses dois dados podem ser retirados rapidamente através da análise da ortofoto obtida com a aeronave não tripulada, como mostrado na figura abaixo.


Com aproximadamente 4 horas de trabalho é possível mapear cerca de 1500 hectares com o VANT.
Com erros aproximados entre 3 e 5 centímetros, o erro no cálculo da área torna-se tão confiável quanto a medição em solo.
Também é possível identificar irregularidades com muito mais agilidade e rapidez. Com a realização de voos recorrentes é possível estabelecer um banco de dados para fiscalizar a construção de obras não autorizadas.
Na topografia é possível realizar levantamento planialtimétrico, modelos digitais de terreno, modelos 3D, medições de áreas, curvas de nível, entre outros trabalhos.
3.    Mineração
Através da ortofoto é possível realizar inspeções visuais, como localização de maquinário, análise de falhas no relevo e otimizar o planejamento de rotas de extração. Com voos frequentes é possível fazer um time lapse para acompanhar a mineração e fazer previsões para o futuro com base em dados precisos.

- Controle de estoque: Através das fotos aéreas realizadas regularmente é possível verificar com precisão o estoque e seu fluxo.

- Monitoramento da área de mineração: Através das ortofotos é possível extrair informações sobre quantidade de máquinas, acompanhamento de fluxo do material, entre outros.

- Time lapse: Utilizando as ortofotos geradas pelo VANT é possível organizá-las em ordem temporal e checar a matéria prima gerada diariamente e fazer previsões futuras mais precisas. Também como identificar pontos geológicos inconstantes, como uma rachadura em uma rocha se propagando ou um terreno instável se movendo.

- Medição de volume de poços: Com a utilização de pontos de controle bem localizados e pré-determinados é possível reduzir o erro da medição de poços e estoque de material para até 0,2%. Sem os pontos de controle o erro em geral é perto de 3%

- Medição da área e perímetro do local desejado: Os valores podem ser convertidos para unidades desejadas automaticamente pelo software. A área pode desejada pode ser desenhada facilmente no mapa.

-Atualização de softwares com imagens de satélite, como o Google Earth: É possível integrar a ortofoto nesses softwares, que geralmente estão desatualizados.
- Planejamento de rotas: Com a geração de uma ortofoto em 3D é possível movimentar e explorar essa ortofoto para melhor entendimento do relevo e acidentes geográficos para a otimização do planejamento de rotas e tráfego do maquinário.

- Localização de máquinas: Através de inspeção visual da ortofoto é possível localizar máquinas no pátio de extração de minério.

- Mapeamento multiespctral: Como os minerais extraídos refletem de maneira diferenciada, com o tratamento de imagem é possível identificar qual a matéria prima e seu volume na região.

- Monitoramento de defeitos geológicos: Com as fotos realizadas regularmente é possível acompanhar possíveis defeitos geológicos já detectados.

- Cortes no relevo para medição de alturas e distâncias:

- Levantamento das curvas de nível: O software de tratamento de imagens após gerar o DSM da região pode mostrar as curvas de nível.
 

Vejas as fotos do treinamento da Equipe: